Para deputado federal Sidnei Leandro 4093

AMIGOS DE FOGO
Loading...

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Irritado Michel temer encerra a reunião.

25/05/2010 18h03 - Atualizado em 25/05/2010 18h08
Temer encerra reunião ‘secreta’ após vazamento pelo Twitter
Deputado publicou posts sobre discussões e desagradou a colegas.
‘Isso é coisa de araponga’, reclamou presidente da Câmara.

"O uso do Twitter por um deputado causou polêmica em uma reunião de líderes da Câmara dos deputados nesta terça-feira (25). Nessas reuniões, até assessores de parlamentares são proibidos de entrar. O vazamento da reunião na internet provocou bate-boca dentro da sala e a reunião foi encerrada subitamente pelo presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP).
O tema em debate na reunião era a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que propõe a criação de um piso nacional para os policiais de todo o país. O impasse ocorre porque um grupo ligado à categoria deseja escrever na Constituição em valores o rendimento mínimo da categoria. A proposta foi aprovada em primeiro turno, mas resta ainda a votação de destaques, como o que retira o valor do texto constitucional. Estava em discussão na reunião a proposta de criação de uma comissão para se tentar um acordo.

Enquanto o debate corria solto entre as lideranças no Congresso, o deputado Capitão Assumção (PSB-ES) resolveu “twittar” as discussões. Ele escreveu coisas como “temer, sepultando a PEC, quer criar 1 comissão” e “vaccarezza diz que lula já dá a bolsa formação. é de rir”.
Quando os parlamentares descobriram a “transmissão” que o colega estava fazendo da reunião, a situação ficou tensa. A reunião foi encerrada e não foi fechado um acordo para a votação do tema desejado por Assumção.

O primeiro a sair da sala foi o líder do PSDB, João Almeida (BA), que atribuiu a Assumção o encerramento da decisão sem acordo. “Nós tínhamos em discussão a proposta de criar uma comissão, mas o mau comportamento de alguns acabou encerrando a reunião.” O líder do PT, Fernando Ferro (PE), também se irritou com o colega. “A reunião terminou por causa do comportamento deplorável de um deputado.”

O presidente da Câmara também saiu da reunião criticando a ação do parlamentar. Ele afirmou que divulgar reuniões como essa “não é útil para a Casa”. Questionado se em uma próxima reunião seria possível reter os celulares dos deputados já na entrada, Temer respondeu que o uso do celular é permitido, mas transmitir a reunião, não. “Isso é coisa de araponga”, disse o peemedebista.

Capitão Assumção disse que começou a twittar durante a reunião ao perceber que se estava "procrastinando" [adiando] a votação da PEC. Ele declarou não acreditar em qualquer possibilidade de punição pelo ato. "Passei 25 anos nas ruas. Vou me preocupar com isso? O que eu fiz é uma forma democrática de expor o meu pensamento", afirmou.

No fim, o impasse sobre o tema continua. Temer afirmou que vai mesmo criar a comissão com três membros indicados pelo governo e outros três pela oposição para tentar construir um acordo sobre este tema. Não há data ainda para a volta do tema ao plenário. "

Capitão Assumção tirou do sério o candidato à vice-presidência de Dilma Rousseff com suas eficientes "Twittadas"!
Semana passada ele fugiu e nessa semana tentou nos enrolar, mais uma vez!
Mas continuamos FIRMES, FORTES E UNIDOS NA BUSCA DE NOSSA DIGNIDADE!

terça-feira, 25 de maio de 2010

Marina Silva é a única candidata a presidência que apóia a PEC 300

Veja o que a mesma escreveu em seu blog:
Salários à altura da responsabilidade

Tenho sido procurada nos comentários deste blog para dizer a minha posição sobre a Proposta de Emenda Constitucional 300.
Para quem não sabe, a PEC 300 propõe que o salário dos policiais militares do país seja equiparado ao valor que ganha o PM do Distrito Federal e cria um fundo no qual a União terá que contribuir para pagar esse salário.
Com a PEC 300, o salário do PM passará a vir dos Estados e também da União.
Para se ter uma idéia do problema, vale a pena falar em números. No DF, o salário inicial de um PM é de aproximadamente R$ 3.100,00. No Rio Grande do Sul, o mesmo cargo paga R$ 800,00.
Por isso, estou ativamente envolvida na defesa da PEC 300. O polícial militar precisa ter um salário digno e à altura das responsabilidades e dos riscos a que ele se expõe.
Postado em 23/03/2010 por Marina
Blog Maina Silva

PEC 300 entra em pauta com apoio de 321 deputados

Tá na Pauta!
PEC 300 entra em pauta com apoio de 321 deputados

Congresso em Foco teve acesso exclusivo à lista dos deputados que assinaram requerimento para votar o piso dos policiais e bombeiros, uma emenda temida pelo governo pelo impacto orçamentário que pode causar



Prometida como primeiro item da pauta da reunião de líderes desta terça-feira (25) a centenas de policiais e bombeiros que lotaram as galerias da Câmara na semana passada, a PEC 300 conta com o apoio formal de 321 deputados. O Congresso em Foco teve acesso com exclusividade ao requerimento apresentado pelo deputado Miro Teixeira (PDT-RJ) e outros no dia 27 de abril deste ano. O grande apoio ao requerimento sinaliza que são grandes as possibilidades de aprovação da proposta de emenda constitucional. Uma situação que provoca arrepios no governo. Há uma estimativa da equipe econômica de que a concessão do aumento, nos termos propostos pela PEC, implicaria um rombo orçamentário da ordem de R$ 3 bilhões.

Vários governadores também preocupam-se com o impacto nas suas contas do aumento provocado pela PEC. Mas uma das conclusões que se pode tirar da leitura da lista é que tais preocupações não necessariamente sensibilizaram a base governista ou eventuais bancadas estaduais. A adesão à PEC 300 (que cria o piso salarial provisório a policiais e bombeiros militares de R$ 3,5 mil e R$ 7 mil - para praças e oficiais, respectivamente) não respeita orientação partidária, localização geográfica e corrente ideológica. Um exemplo é que os deputados Flávio Dino (PCdoB-MA) e Paulo Maluf (PP-SP) subscrevem o requerimento.

A maioria da Mesa Diretora da Câmara também assinou o documento. À exceção do presidente, Michel Temer (PMDB-SP), e do primeiro vice, Marco Maia (PT-RS); todos os titulares assinaram. São eles: Antonio Carlos Magalhães Neto (DEM-BA), segundo vice-presidente; Rafael Guerra (PSDB-MG), primeiro secretário; Inocêncio Oliveira (PR-PE), segundo secretário; Odair Cunha (PT-MG), terceiro secretário; e Nelson Marquezelli (PTB-SP), quarto secretário.

Fiéis às orientações do governo e dos governadores, apenas os líderes e os parlamentares de maior expressão na base e na oposição. Casos, por exemplo, de Arlindo Chinaglia (PT-SP), ex-presidente da Câmara; Cândido Vaccarezza (PT-SP), líder do governo na Câmara; Fernando Ferro (PE), líder do PT na Câmara; João Almeida (BA), líder do PSDB na Câmara; Paulo Bornhausen (SC), líder do DEM na Câmara; Ronaldo Caiado (GO), ex-líder do DEM na Câmara.

O texto-base da PEC 300 já foi aprovada em primeiro turno na Câmara. Agora, para que o primeiro turno seja concluído, os deputados terão que votar quatros destaques que, na prática, desfiguram a proposta. Após essa fase, a matéria terá de passar por outro turno de votação para seguir, então, ao Senado.

Pressão

A adesão à PEC é claramente um resultado da forte pressão que os policiais e os bombeiros, organizados, exercem há várias semanas sobre os deputados. Os parlamentares que defendem a proposta afirmam que as caravanas de todo o país não vão parar de chegar ao Congresso. Apenas na semana passada, cerca de 3 mil policiais e bombeiros vieram acompanhar a votação.

Para o deputado Capitão Assunção (PSB-ES), um dos parlamentares que mais se destaca na defesa da PEC, dentre as estratégias do governo para adiar a análise está o “rodízio de líderes” que ocupam a tribuna contrariamente à matéria.

“A estratégia de revezamento dos parlamentares serve para evitar que eles se queimem”, avalia o deputado capixaba. Como exemplo, ele cita dois momentos distintos: os destaques apresentados pelo líder petista em março, e a atuação de Chinaglia na semana passada, que visivelmente se irritou com a manifestação das galerias pela PEC 300.

“No tripé segurança, saúde e educação; a segurança é a única que não chega às extremidades da sociedade”, explica Assunção, que aproveita para provocar o governo. “A cada tentativa de procrastinação, a resistência dos trabalhadores do setor de segurança aumenta.”

O deputado Major Fábio (DEM-PB) rebate insinuações de que policiais estavam armados nas galerias da Câmara, durante a sessão da quarta-feira da semana passada. “Não tem como entrar armado. Além disso, os policiais que estavam nas galerias são lideranças conhecidas pelos deputados em seus estados.”

De acordo com o deputado paraibano, alguns deputados contrários à PEC ficaram “apavorados” pela “manobra ridícula” feita para atrasar a votação. Para ganhar tempo e adiar a votação da PEC, a relatora da Medida Provisória 479/09, deputada Gorete Pereira (PR-CE), passou quase duas horas lendo seu relatório. A MP, que reestrutura as carreiras dos servidores federais, era o último item antes do reajuste dos policiais e bombeiros.


Veja a lista dos deputados que assinaram requerimento:

Acre:
FERNANDO MELO (PT)
GLADSON CAMELI (PP)
ILDERLEI CORDEIRO (PPS)
PERPÉTUA ALMEIDA (PCdoB)
SERGIO PETECÃO (PMN)

Alagoas
ANTONIO CARLOS CHAMARIZ (PTB)
CARLOS ALBERTO CANUTO (PSC)
FRANCISCO TENORIO (PMN)
GIVALDO CARIMBÃO (PSB)
MAURÍCIO QUINTELLA LESSA (PR)

Amazonas
ÁTILA LINS (PMDB)
FRANCISCO PRACIANO (PT)
LUPÉRCIO RAMOS (PMDB)
MARCELO SERAFIM (PSB)
REBECCA GARCIA (PPB)
SABINO CASTELO BRANCO (PTB)
SILAS CÂMARA(PSC)
VANESSA GRAZZIOTIN (PCdoB)

Amapá
EVANDRO MILHOMEN (PCdoB)
FÁTIMA PELAES (PMDB)
JANETE CAPIBERIBE (PSB)
SEBASTIÃO BALA ROCHA (PDT)

Bahia
ALICE PORTUGAL (PCdoB)
ANTONIO CARLOS MAGALHÃES NETO (DEM)
CLAUDIO CAJADO (DEM)
COLBERT MARTINS (PMDB)
FÉLIX MENDONÇA (DEM)
FERNANDO DE FABINHO (DEM)
GERALDO SIMÕES (PT)
JORGE KHOURY (DEM)
JOSÉ CARLOS ARAÚJO (PDT)
LÍDICE DA MATA (PSB)
LUIZ BASSUMA (PV)
LUIZ CARREIRA (DEM)
MÁRCIO MARINHO (PRB)
MARCOS MEDRADO (PDT)
MAURÍCIO TRINDADE (PR)
ROBERTO BRITTO (PP)
SÉRGIO BARRADAS CARNEIRO (PT)
SEVERIANO ALVES (PMDB)
TONHA MAGALHÃES (PR)
ULDURICO PINTO PHS)
VELOSO (PMDB)

Ceará
ARNON BEZERRA (PTB)
CHICO LOPES (PCdoB)
EUDES XAVIER (PT)
EUGÊNIO RABELO (PP)
EUNÍCIO OLIVEIRA (PMDB)
FLÁVIO BEZERRA (PRB)
PAULO HENRIQUE LUSTOSA (PMDB)
RAIMUNDO GOMES DE MATOS (PSDB)
VICENTE ARRUDA (PR)
ZÉ GERARDO (PMDB)

Distrito Federal
ALBERTO FRAGA (DEM)
AUGUSTO CARVALHO (PPS)
LAERTE BESSA (PMDB)
RODOVALHO (PP)
TADEU FILIPPELLI (PMDB)

Espírito Santo
CAMILO COLA (PMDB)
CAPITÃO ASSUMÇÃO (PSB)
IRINY LOPES (PT)
JURANDY LOUREIRO (PSC)
MANATO (PDT)
RITA CAMATA (PMDB)
SUELI VIDIGAL (PDT)

Goiás
CARLOS ALBERTO LERÉIA (PSDB)
ÍRIS DE ARAÚJO (PMDB)
JOÃO CAMPOS (PSDB)
LEANDRO VILELA (PMDB)
LUIZ BITTENCOURT (PMDB)
MARCELO MELO (PMDB)
PEDRO CHAVES (PMDB)
PEDRO WILSON (PT)
PROFESSORA RAQUEL TEIXEIRA (PSDB)
ROBERTO BALESTRA (PP)
TATICO (PTB)

Maranhão
CLEBER VERDE (PRB)
DAVI ALVES SILVA JÚNIOR (PR)
DOMINGOS DUTRA (PT)
FLÁVIO DINO (PCdoB)
PEDRO FERNANDES (PTB)
PEDRO NOVAIS (PMDB)
PINTO ITAMARATY (PSDB)
PROFESSOR SETIMO (PMDB)
RIBAMAR ALVES (PSB)
ROBERTO ROCHA (PSDB)
ZÉ VIEIRA (PR)

Mato Grosso do Sul
ANTÔNIO CARLOS BIFFI (PT)
ANTONIO CRUZ (PP)
DAGOBERTO (PDT)
GERALDO RESENDE (PMDB)
MARÇAL FILHO (PMDB)
NELSON TRAD (PMDB)

Mato Grosso
ELIENE LIMA (PP)
THELMA DE OLIVEIRA (PSDB)
VALTENIR PEREIRA (PSB)

Minas Gerais
ADEMIR CAMILO (PDT)
AELTON FREITAS (PR)
ANTÔNIO ANDRADE (PMDB)
ANTÔNIO ROBERTO (PV)
BILAC PINTO (PR)
BONIFÁCIO DE ANDRADA (PSDB)
CARLOS MELLES (DEM)
CARLOS WILLIAN (PTC)
CIRO PEDROSA (PV)
EDMAR MOREIRA (PR)
ELISMAR PRADO (PT)
FÁBIO RAMALHO (PV)
GEORGE HILTON (PRB)
GERALDO THADEU (PPS)
GILMAR MACHADO (PT)
JAIME MARTINS (PR)
JAIRO ATAIDE (DEM)
JOÃO MAGALHÃES (PMDB)
JOSÉ FERNANDO APARECIDO DE OLIVEIRA (PV)
LEONARDO MONTEIRO (PT)
LEONARDO QUINTÃO (PMDB)
LINCOLN PORTELA (PR)
LUIZ FERNANDO FARIA (PP)
MARCOS LIMA (PMDB)
MARCOS MONTES (DEM)
MARIA LÚCIA CARDOSO (PMDB)
MÁRIO DE OLIVEIRA (PSC)
MÁRIO HERINGER (PDT)
MAURO LOPES (PMDB)
MIGUEL CORRÊA (PT)
MIGUEL MARTINI (PHS)
ODAIR CUNHA (PT)
PAULO ABI-ACKEL (PSDB)
PAULO DELGADO (PT)
PAULO PIAU (PMDB)
RAFAEL GUERRA (PSDB)
REGINALDO LOPES (PT)
RODRIGO DE CASTRO (PSDB)
SARAIVA FELIPE (PMDB)
SILAS BRASILEIRO (PMDB)
VIRGÍLIO GUIMARÃES (PT)
VITOR PENIDO (DEM)

Pará
ASDRUBAL BENTES (PMDB)
GERSON PERES (PP)
GIOVANNI QUEIROZ (PDT)
LIRA MAIA (DEM)
LÚCIO VALE (PR)
NILSON PINTO (PSDB)
PAULO ROCHA (PT)
ZÉ GERALDO (PT)
ZENALDO COUTINHO (PSDB)
ZEQUINHA MARINHO (PSC)

Paraíba
ARMANDO ABÍLIO (PTB)
DAMIÃO FELICIANO (PDT)
EFRAIM FILHO (DEM)
LUIZ COUTO (PT)
MAJOR FÁBIO (DEM)
MARCONDES GADELHA (PSC)
RÔMULO GOUVEIA (PSDB)
VITAL DO RÊGO FILHO (PMDB)
WELLINGTON ROBERTO (PR)
WILSON BRAGA (PMDB)
WILSON SANTIAGO (PMDB)

Pernambuco
BRUNO ARAÚJO (PSDB)
BRUNO RODRIGUES (PSDB)
CHARLES LUCENA (PTB)
EDGAR MOURY (PMDB)
EDUARDO DA FONTE (PP)
FERNANDO COELHO FILHO (PSB)
FERNANDO NASCIMENTO (PT)
INOCÊNCIO OLIVEIRA (PR)
JOSÉ MENDONÇA BEZERRA (DEM)
MAURÍCIO RANDS (PT)
PAULO RUBEM SANTIAGO (PDT)
RAUL HENRY (PMDB)
RAUL JUNGMANN (PPS)
ROBERTO MAGALHÃES (DEM)
SILVIO COSTA (PTB)
WOLNEY QUEIROZ (PDT)

Piauí
ANTONIO JOSÉ MEDEIROS (PT)
ÁTILA LIRA (PSB)
CIRO NOGUEIRA (PP)
JÚLIO CESAR (DEM)
OSMAR JÚNIOR (PCdoB)
PAES LANDIM (PTB)
THEMÍSTOCLES SAMPAIO (PMDB)

Paraná
ABELARDO LUPION (DEM)
ALCENI GUERRA (DEM)
ALEX CANZIANI (PTB)
ALFREDO KAEFER (PSDB)
ANDRE VARGAS (PT)
ASSIS DO COUTO (PT)
CASSIO TANIGUCHI (DEM)
CHICO DA PRINCESA (PR)
DILCEU SPERAFICO (PP)
EDUARDO SCIARRA (DEM)
LUIZ CARLOS HAULY (PSDB)
MOACIR MICHELETTO (PMDB)
NELSON MEURER (PP)
ODÍLIO BALBINOTTI (PMDB)
RATINHO JUNIOR (PSC)
TAKAYAMA (PSC)
WILSON PICLER (PDT)

Rio de Janeiro
ALEXANDRE CARDOSO (PSB)
ALEXANDRE SANTOS (PMDB)
ANDREIA ZITO (PSDB)
ARNALDO VIANNA (PDT)
BERNARDO ARISTON (PMDB)
BRIZOLA NETO (PDT)
CARLOS SANTANA (PT)
CHICO ALENCAR (PSol)
DELEY (PSC)
DR. PAULO CÉSAR (PR)
EDMILSON VALENTIM (PCdoB)
EDUARDO CUNHA (PMDB)
FELIPE BORNIER (PHS)
FERNANDO GABEIRA (PV)
FERNANDO GONÇALVES (PTB)
FERNANDO LOPES (PMDB)
FILIPE PEREIRA (PSC)
GERALDO PUDIM (PR)
HUGO LEAL (PSC)
INDIO DA COSTA (DEM)
JAIR BOLSONARO (PP)
LÉO VIVAS (PRB)
LEONARDO PICCIANI (PMDB)
MARCELO ITAGIBA (PSDB)
MARINA MAGGESSI (PPS)
MIRO TEIXEIRA (PDT)
NEILTON MULIM (PR)
NELSON BORNIER (PMDB)
OTAVIO LEITE (PSDB)
ROGERIO LISBOA (DEM)
SILVIO LOPES (PSDB)
SIMÃO SESSIM (PP)
SOLANGE ALMEIDA (PMDB)

Rio Grande do Norte
FÁBIO FARIA (PMN)
FÁTIMA BEZERRA (PT)
FELIPE MAIA (DEM)
ROGÉRIO MARINHO (PSDB)

Rondônia
ANSELMO DE JESUS (PT)
EDUARDO VALVERDE (PT)
ERNANDES AMORIM (PT)
LINDOMAR GARÇON (PV)
MAURO NAZIF (PSB)
NATAN DONADON (PMDB)

Roraima
EDIO LOPES (PMDB)
FRANCISCO RODRIGUES (DEM)
LUCIANO CASTRO (PR)
MARCIO JUNQUEIRA (DEM)
MARIA HELENA (PSB)
NEUDO CAMPOS (PP)

Rio Grande do Sul
AFONSO HAMM (PP)
BETO ALBUQUERQUE (PSB)
CLÁUDIO DIAZ (PSDB)
ENIO BACCI (PDT)
FERNANDO MARRONI (PT)
GERMANO BONOW (DEM)
LUIS CARLOS HEINZE (PP)
MARIA DO ROSÁRIO (PT)
MENDES RIBEIRO FILHO (PMDB)
PAULO PIMENTA (PT)
PAULO ROBERTO PEREIRA (PTB)
POMPEO DE MATTOS (PDT)
PROFESSOR RUY PAULETTI (PSDB)
RENATO MOLLING (PP)
SÉRGIO MORAES (PTB)
VIEIRA DA CUNHA (PDT)
VILSON COVATTI (PP)

Santa Catarina
ANGELA AMIN (PP)
CELSO MALDANER (PMDB)
EDINHO BEZ (PMDB)
FERNANDO CORUJA (PPS)
NELSON GOETTEN (PR)
PAULO BAUER (PSDB)
VALDIR COLATTO (PMDB)
VIGNATTI (PT)
ZONTA (PP)

Sergipe
ALBANO FRANCO (PSDB)
EDUARDO AMORIM (PSC)
IRAN BARBOSA (PT)
JACKSON BARRETO (PMDB)
JERÔNIMO REIS (DEM)
MENDONÇA PRADO (DEM)
VALADARES FILHO (PSB)

São Paulo
ABELARDO CAMARINHA (PSB)
ALDO REBELO (PcdoB)
ALINE CORRÊA (PP)
ARNALDO FARIA DE SÁ (PTB)
ARNALDO JARDIM (PPS)
BETO MANSUR (PP)
CARLOS SAMPAIO (PSDB)
CELSO RUSSOMANNO (PP)
DEVANIR RIBEIRO (PT)
DR. NECHAR (PP)
DR. TALMIR (PV)
DR. UBIALI (PSB)
FERNANDO CHIARELLI (PDT)
FERNANDO CHUCRE (PSDB)
FRANCISCO ROSSI (PMDB)
GUILHERME CAMPOS (DEM)
IVAN VALENTE (PSol)
JOÃO DADO (PDT)
JORGE TADEU MUDALEN (DEM)
JOSÉ PAULO TÓFFANO (PV)
LUCIANA COSTA (PR)
MILTON MONTI (PR)
NELSON MARQUEZELLI (PTB)
PAES DE LIRA (PTC)
PAULO MALUF (PP)
PAULO PEREIRA DA SILVA (PDT)
PAULO TEIXEIRA (PT)
EGIS DE OLIVEIRA (PSC)
RENATO AMARY (PSDB)
ROBERTO ALVES (PTB)
VICENTINHO (PTB)
WALTER IHOSHI (DEM)
WILLIAM WOO (PPS)

Tocantins
JOÃO OLIVEIRA (DEM)
MOISES AVELINO (PMDB)
OSVALDO REIS (PMDB)
VICENTINHO ALVES (PR

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Presidente da Câmara Federal viaja e votação da PEC 300 está ameaçada




COVARDE !!!

O presidente da Câmara Federal, deputado Michel Temer (PMDB/SP), viajou para o exterior e a votação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 300 está ameaçada de não acontecer nesta semana. Esta informação foi repassada pelo presidente da Associação dos Cabos e Soldados (ACS) de Alagoas, Wagner Simas, que está em Brasília, desde a tarde desta segunda-feira (17), para acompanhar a possível votação. O clima entre os militares de todo o Brasil é de frustração.
De acordo com Simas, a presença de Michel Temer na sessão desta terça-feira (18) era considerada de extrema importância, haja vista que ele mesmo havia garantido adotar todas as estratégias possíveis para que a PEC 300 fosse apreciada esta semana. O presidente da Câmara Federal enfrenta grande resistência, sobretudo da base governista, que não aceita a instituição do piso nacional salarial da categoria, sugerida pela proposta.
Nesta tarde, os deputados que integram a Comissão Especial para avaliar a PEC 300 têm uma reunião decisiva. Eles tentarão, mesmo com a ausência do presidente da Casa, convencer os colegas de parlamento a colocar a Proposta na pauta de votação desta terça-feira.
A caravana formada por 40 militares de Alagoas vai acompanhar esta reunião, marcada para o Congresso Nacional, em Brasília. Com os demais policiais e bombeiros de outros Estados, eles pretendem fazer pressão para que a PEC 300 seja apreciada.

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Caravana Rumo à Brasília

ATENÇÃO:
AMIGOS, POLICIAIS, BOMBEIROS, REFORMADOS E PENSIONISTAS, A NOSSA CARAVANA MARCADA PARA SAIR RUMO A BRASILIA DIA 17/05/2010. SAINDO AS 10 HORAS DA MANHÃ DA AV. PRESIDENTE VARGAS, 1.733 - ASSINAP, EM FRENTE A CENTRAL DO BRASIL, QUEM JA FEZ INSCRIÇAO ESTA VALENDO E QUEM AINDA NAO FEZ, POR FAVOR SE FOR DE SEU INTERESSE VIAJAR CONSOCO, LIGUE PARA O TEL. (21)9993- 5851, FALAR COM MARI TORRES DE 8 AS 18 HORAS.

Michel Temer diz votar a PEC Aglutinativa no próximo dia 18/05/2010


O presidente da câmara dos deputados Michel Temer se comprometeu votar os 3 destaques restantes da PEC Aglutinativa(300/446). E pasmem, disse que vai derrubar os destaques, e mais inacreditável ainda... disse que vai votar em sessão extraordinária no mesmo dia, o segundo turno da tão esperada PEC. Será que se pode confiar num homem que até o presente momento só fez obstruir nossa PEC?
Após lançar sua pré-candidatura como vice de Dilma Rousset, Michel Temer vai ceder as reivindicações pra não perder os votos da segurança pública?
Bom... só nos resta esperar e acreditar Naquele que nos criou.
Que venha o dia 18/05/2010


Não deixem de ir a Brasília. Caravana dia 17/05/2010. Saída do centro do Rio, em frente a central do Brasil. Contatos: (21) 3888-9179 / 9993-5851 / 7865-2448

sábado, 1 de maio de 2010

PEC 300 atinge o Maracanã


Esta é a faixa confeccionada pela Raça Rubro-Negra, maior torcida do Flamengo, que foi COVARDEMENTE apreendida no último domingo, no Maracanã.
Curiosa foi a alegação da Srª. Márcia Lins, Secretária de Estado de Esportes, de que havia cunho político na mensagem da faixa, enquanto lá fora eram distribuídos panfletos do governo do estado contra a "COVARDIA"
da perda dos royaltes do petróleo.
Mais engraçado ainda é saber de quem essa tal de Márcia Lins é irmã: do ex-delegado expulso da polícia civil e ex-deputado estadual cassado, Álvaro Lins, Vocês sabiam.
Sorte que o Sgt PM Passos, que lá estava, conseguiu reaver a faixa no JECRIM e fez valer seu direito de cidadão. Esse é o governo do nosso estado: 02 pesos, 02 medidas!
JUNTOS SOMOS FORTES